segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Aprendendo

Caríssimos colegas de blog,
Já ouvi algumas pessoas dizerem que se o Prof. Kikuchi tivesse construído uma igreja e não uma escola, certamente teria muito mais sucesso e popularidade.
Concordo, e celebro a escolha pela escola.
Escolha mais difícil e menos popular, justamente porque não alimenta ilusões. Nem tampouco desilusões.
Afinal, os membros de uma igreja, seja qual for o credo, serão sempre os escolhidos, os preferidos do pai celestial, os acima da impureza do mundo, os supostamente mais elevados em suas próprias regras morais, ou em uma palavra, serão para eles mesmos, considerados melhores que os outros que não pertencem à sua religião.
Já os membros de uma escola, são apenas aqueles que por escolha, com suas variadas coleções de imperfeições, e justamente no exercício de reconhecê-las, estão tentando aprender, em tantos exercícios aperfeiçoadores.
Tomo assim a liberdade de discordar do comentário de Gilberto às palavras de Haru, com seu tempero marcante.
Criar ilusões ou desilusões são parte de um mesmo movimento, não vejo uma como melhor que outra. Igualmente distantes do que o Prof. Kikuchi chama de perceber, algo como o que os pitagóricos chamavam de saber ouvir.
Se alguém se muda para uma comunidade alternativa, ou para uma ecovila, ou para um mosteiro, achando que ali os seres humanos erram menos, ou são mais elevados; será apenas uma questão de tempo para se desiludir.
Um movimento perigoso porque a desilusão pode alimentar a infelicidade, a idéia que se não há um grupo especial em parte alguma, então é porque ninguém presta mesmo.
Muito cuidado e delicadeza nesta hora, porque os desiludidos políticos, amorosos, ideológicos, ecológicos podem acreditar tanto em sua desilusão quanto acreditavam em sua ilusão, e perderem os olhos para o belo/feio do mundo.
O que me comove no Prof. Kikuchi é sua alegria firme e transparente.
Será um iludido? acredito que não.
Será um desiludido? muito menos ainda, se me recordo de Espinosa e seu ensinamento de que o que aumenta minha potência de vida e a potência alheia, me alegra, e o que as reduz e nos diminui, são os encontros tristes.
Abraços a vocês.

3 comentários:

Gilberto disse...

Salve Ricardo

Como andas?
Por aqui tento não ser menor que meus sonhos.
Providencial seu comentário .
No entanto te pergunto se uma desilusão consciente não é melhor que uma ilusão desapercebida?
Grande abraço e até sempre
Gilberto

Gilberto disse...

Não consegui abrir o video . Podes postá-lo novamente?
Gilberto

Ricardo disse...

Oi Gilberto, acabei de verificar e pude assistir o vídeo que postei, tente usar outro navegador ou browser, acredito que funcionará.
Grande abraço
Ricardo